Concurso Bienal Lisboa

Projeto: 2007.

Equipe: Anita Freire, Georgia Lobo, Otávio Sasseron, Sílio Almeida, Patrícia Abud, Pedro Ivo Freire e Victor Penna.

 

Este projeto acadêmico foi elaborado em 2007 para a disciplina de Estúdio Vertical da Escola da Cidade. Foi selecionado para representar a escola na Bienal de Lisboa em um concurso de projetos de estudantes.

 

A intervenção proposta buscou restabelecer algumas das relações da cidade perdidas ao longo de seu processo de expansão urbana.

 

Na escala metropolitana, foi proposto o redesenho da orla que orienta as intervenções específicas. Para isso, foi sugerido a criação de um mergulhão que reorganizaria os fluxos de funcionamento do porto e liberaria área para uso público, com a eliminação da área de porto que já não atende as necessidades portuárias. Paralela à orla, foi proposto uma Linha VLT (veículo leve sobre trilho) que configuraria um novo eixo, pontuado com torres de estacionamento.

 

Outro elemento integrador proposto foi o sistema de canais com terminais de catraias (pequenas embarcações), que são caracterizados por três momentos em que a água entra na cidade e adquire uma relação funcional com a cidade. Esse sistema de catraias orienta a localização dos demais equipamentos públicos.

 

Os elementos de integração se configuram nos meios de transportes, no restabelecimento do contato com a água e a intervenção pontual, que entende a importância da cidade como patrimônio, além, é claro, da questão da proposição de novos usos, sendo a habitação o principal elemento de revitalização.

 

A principal questão projetual que se coloca é: como entender a habitação não como simples necessidade ou programa da cidade, mas a cidade como habitação humana?

Maquete do centro de Santos, intervenção em branco

Maquete do centro de Santos, intervenção em branco

Croqui de análise de intervenção: vlt, equipamentos e entradas de água

Croqui equipamentos: restaurante

Croqui equipamentos: terminal de catracas

Croqui equipamentos: escola náutica