Parque em Lavras, Minas Gerais

Projeto: dezembro 2015

Arquitetura: Anita Freire e Georgia Lobo

Estudo Geológico: Éricles Freire

Estudo Hidrológico: Haroldo Cunha

Perspectiva eletrônica: Diogo Ribeiro

 

Concepção urbanística e arquitetônica do Parque Cidade da Serra

 

Urbanização em fundo de Vale

 

O estudo de concepção urbanística e arquitetônica do Parque Cidade da Serra, localizada em fundo de Vale, levou em consideração o plano urbanístico elaborado para o conjunto do empreendimento realizado pelo escritório Dávila arquitetura.

 

Estudo de concepção inserido no Plano

 

Foram considerados daquele plano: os limites do parque, a área reservada aos estacionamentos e a ideia de que a água deveria ser a protagonista das áreas livres.

Foi feito um estudo do zoneamento e dos eixos viários do plano. Assim, a hierarquia das praças do parque está ligada ao uso do solo, bem como os caminhos estabelecidos pretendem criar uma continuidade no tecido urbano. Também se adotou um circuito de ciclovias no parque, cientes da importância que este tem no plano.

 

IImplantação do parque no Plano Urbano

 

Partido do projeto

 

Água

 

O partido do projeto foi elaborado juntamente e em consonância com os estudos geotécnicos e hidrológicos, por isso o desenho da barragem (forma de ampulheta) foi estabelecido seguindo as orientações de tais estudos para o melhor desempenho da barragem. 

No estudo de concepção, ficou estabelecida a existência de duas barragens que formam o Lago Norte na jusante (triângulo menor) e o Lago sul na montante (triângulo maior). Os dois lagos são unidos por um canal situado no meio do vale.

Os lagos e o canal possuem suas bordas com colchões de pedra (rip rap), que conformam os limite dos lagos e do canal e conferem um aspecto mais natural ao desenho da água.

Há uma variação no nível da água nas épocas de seca e de chuva. Por isso, nos estudos de concepção, podemos ver o desenho da água nessas diferentes épocas (azul escuro, na época da seca; azul claro, na época das chuvas).

O canal possui um perfil que permaneceria sempre cheio com uma calha retangular (1,00x 0,50m), e uma calha trapezoidal (11,00 x 0,50m), que teria água a uma altura de 30 cm na época da chuva, com uma largura de 7m.

.

 

 perfil na época de chuva

 

 perfil na época de seca

 

 corte ampliado do canal

 

Foram criadas duas calhas pluviais (em azul claro) no sentido transversal do parque, que teriam a função de coletar a água pluvial e conduzi-la aos lagos, após um sistema de filtragem (passagem por gravidade de um tanque a outro), agregando conceitos de sustentabilidade ao projeto com a coleta, tratamento e armazenamento de água de chuva.

O canal possui um perfil que permaneceria sempre cheio com uma calha retangular (1,00x 0,50m), e uma calha trapezoidal (11,00 x 0,50m), que teria água a uma altura de 30 cm na época da chuva, com uma largura de 7m.

.

 

estacionamento

 

calçada

 

tanques de filtragem

 

caminhos

(anel interno)

 

tanques de filtragem

 

lago norte

 

calha pluvial

canal

 

calha pluvial

 

lago sul

 

 corte ampliado da calha pluvial

 

 

Caminhos

 

A organização do parque é feita por meio de caminhos: anéis e eixos transversais que organizam a circulação.

O primeiro anel é o Anel Periférico, que determina os limites do parque. Como se encontra na borda do vale, ocorre praticamente todo plano. A borda sul situa-se na cota 922; a borda, leste entre a cota 922 e 918; a borda oeste varia entre a cota 922 e 918; e a borda norte situa-se na cota 914.  Este anel tem um caráter mais urbano, nele situam-se as praças que são os principais equipamentos do parque. Sua largura varia entre 5 e 10 metros, sendo que, nos trechos de  cinco metros, existe uma faixa de estacionamento para os usuários do parque. Neste anel, existe um cinturão de árvores que 

garante sombra aos usuários e uma série de mobiliários urbanos (bancos, bebedouros etc.), que garantem boa qualidade espacial ao circuito.

O segundo anel é o Anel Interno, este dista 20 metros do primeiro anel e se situa mais próximo ao canal, determinando o limite entre o início da vegetação mais densa próxima ao canal. É um caminho destinado aos que pretendem uma proximidade maior à natureza, seja para fazer exercícios ou para um simples passeio.

O terceiro anel é a Praia, um caminho que margeia o canal e é formado por um deck que permite a proximidade com a água, configurando uma praia. Ao longo dessa Praia, ficariam alguns equipamentos de ginástica e alongamento.

Entre os dois anéis, encontram-se diversos caminhos transversais ao parque. Entre esses caminhos, está a travessia principal que se dá em nível (cota 920), por meio de uma Passarela situada no centro do parque, que liga as duas principais praças. No meio desta travessia, localiza-se uma torre com circulação vertical que permite a ligação com a Praia ao longo do canal. Esta torre possui um mirante que possibilita a vista de todo o parque.

.

 

 corte transversal mostrando a passarela e a torre

 

Pensou-se que poderiam existir, além da travessia principal, outras duas possibilidades de transposição ao canal, que seriam duas pequenas pontes situadas na boca dos lagos.

Além de todos esses caminhos destinados ao uso do pedestre, pensou-se em um circuito de ciclovias no parque, um no Anel Periférico e outro ao longo da Praia.

.

 

anel perimetral

 

anel interno

transversal

 

praia

 

passarela

 

 

transversal

 

 

transversal

 

 

Praças

 

Entre os lugares de passagem (caminhos), foram criados lugares de estar dentro do parque.

Duas praças principais localizam-se no centro do parque: A Praça da Música e a Praça das Crianças. As duas praças são ligadas pela Passarela e se olham, abrindo-se em contemplação ao vale e ao parque.

Tirando partido do desnível existente, a Praça da Música abriga uma arquibancada, na costa do vale, e um palco na parte mais baixa. Ali, poderão acontecer shows, peças de teatro e diversas outras atividades tendo como fundo o parque. Nela, existe ainda uma rampa 

e uma escadaria ligando ao nível mais baixo do parque. Taludes fazem o ajuste do terreno e também permitem os mais diversos usos (brincadeiras e esportes).

Localizada no outro extremo, fica a Praça das Crianças. Como está mais próxima do bairro residencial, receberá equipamentos lúdicos: balanço, escorregador, gira-gira e uma praça de água. Os equipamentos se distribuem em platôs, em diversos níveis, alguns com brinquedos e outros com árvores e bancos para mães e pais que acompanham seus filhos.

 

praça da música

praça das crianças

 

praça comercial

praça das crianças

 

praça da música

 

Uma terceira praça em formato “L” situa-se na borda sul: é a Praça Comercial. Pelo fato de estar próxima a uma das principais avenidas do bairro, num eixo comercial e institucional, ela disponibiliza equipamentos urbanos. Possui uma marquise que fornece sombra e poderá ter um café ou lanchonete, floricultura, bicicletário e banheiros públicos.

 

ampliação da planta das duas praças principais

ampliação da planta das da praça comercial

 

Áreas Verdes

 

Neste projeto, determinou-se uma setorização das áreas verdes. No Anel Periférico, localiza-se um cinturão de árvores no meio da calçada.

Entre o primeiro e o segundo anel, existe um faixa de parque com espécies de gramíneas e vegetação rasteira. Essas áreas seriam destinada aos usos mais intenso, com mesas para piqueniques e algumas quadras para prática de esportes.

 

 

A área mais próxima ao Canal concentraria espécies de vegetação de maior porte e teria maior densidade. Seria como uma recomposição da mata ciliar. Com uso mais restrito, poderia ser acessada pelos caminhos transversais.

 

cinturão de árvores

palmeiral

 

área de vegetação densa

área de gramado

 

Síntese

 

O Estudo de concepção urbanística e arquitetônica do Parque Cidade da Serra teve como premissa: a organização dos caminhos de passagens, a valorização da água como elemento integrador e a determinação de espaços de estar e de contemplação.

Buscando criar espaços com boa qualidade espacial, elegeu-se como estruturadores da concepção urbana: a água, os caminhos, as praças e as áreas verdes. É por meio destes elementos que o projeto se pauta para atuar como espaço primordial da qualidade urbana dentro do plano urbanístico para o empreendimento Aldeia da Serra.

 

planta do parque

 

Perspectivas eletrônicas

 

 

vista da praia, anel interno, canal

vista da praia para a passarela e torre 

vista aérea da Praça da Música

vista aérea da Praça das Crianças