Concurso Praça no Lageado

Projeto: 2008.

Equipe: Anita Freire, Cesar Shundi Iwamizu, Georgia Lobo, Guilherme Petrela, Marina Colonelli e Moracy Amaral.

 

Realizado em 2008, este projeto foi coordenado pelo Instituto Sou da Paz e financiado pela Sulamérica Seguros, e constitui, juntamente com outros dois projetos realizados na periferia de São Paulo, um exemplo de parceria entre poder público e privado para a requalificação de espaços públicos na cidade.

A elaboração do projeto se deu por meio de processo participativo realizado com a comunidade de Lageado. O projeto ganhou 1º lugar na categoria urbanismo na 9ª Premiação jovens arquitetos, do IAB-SP.

 

Localizado no distrito do Lajeado, extremo leste de São Paulo, o campo foi construído em 2004 por mobilização dos próprios moradores. Apesar de precário, o espaço se tornou o local oficial dos campeonatos de futebol da comunidade e sua melhoria, além da construção de outros equipamentos, foram reivindicações constantes dos moradores.

 

Além da melhoria da qualidade ambiental das praças, o objetivo do trabalho era desenvolver um processo de união entre os moradores, utilizando as discussões sobre o futuro do espaço como ferramenta para a construção de novas relações entre os diversos atores sociais da comunidade. Por meio de assembleias entre moradores, arquitetos e educadores, foram organizadas discussões para o entendimento das necessidades locais. Desenhos, maquetes e orçamentos foram utilizados para as definições e desenvolvimento de projeto.

 

O campo – agora plano, retangular e maior – foi mantido no centro da praça, circundado por arquibancadas, alambrados e muros capazes de ajustar o espaço à topografia acidentada do bairro. Ao mesmo tempo em que definem um recinto suficientemente protegido para a prática do futebol, esses elementos foram estrategicamente desenhados para criar oportunas e generosas aberturas, de modo a deixar o campo necessariamente aberto para o acontecimento de outras atividades imprevistas.

 

As calçadas, anteriormente inexistentes, criam passagens em continuidade aos diversos caminhos do bairro, permitindo que o projeto assimile os percursos pré-existentes da população e se torne local de convívio nos trechos equipados com bancos e mesas, espaços de maior largura cuidadosamente posicionados em frente aos bares.

 

Nas extremidades da praça, garantindo identidade a cada um dos pontos de acesso, foram posicionados o parquinho e um espaço propício a usos diversos, um piso plano, aberto e protegido por uma cobertura – estrutura de aço, madeira e telhas translúcidas – que também se volta ao campo de futebol como tribuna coberta ou palco.

 

O projeto de paisagismo criará sombra às áreas de lazer e estar, além de garantir unidade e caráter ao espaço da praça. Orientada por profissionais, sua implantação foi realizada com mudas fornecidas pela prefeitura por meio de um mutirão, tanto pela viabilidade de execução quanto pelo caráter simbólico dessa atividade.

 

Foto mesa de jogos. Fotografias Pedro Kok

Foto parquinho. Fotografias Pedro Kok

Implantação Lageado

Foto campinho. Fotografia Pedro kok

Foto cobertura. Fotografia Pedro kok

Cortes transversais

Planta