Concurso  Bananal

Projeto: 2013

Arquitetura: Marcos Carrilho, Vera Domschke.

Colaboradores: Caio Kurimoto Montanheiro, Carolina Sucena Rasga, Georgia Lobo, José Tadeu Ferreira, Marcela Dantas, Maria Emília Marinho, Stéphanie Freitas e Victor Tetsuo.

 

Este projeto ganhou o primeiro lugar no concurso realizado em 2013.

 

O Sobrado Aguiar Vallim é constituído de paredes de taipa assentadas sobre fundação de blocos de pedra. Sobre essa base, se apoia um sistema de estrutura de madeira constituído de barrotes e esteios, preenchidos com adobes e taipa francesa. Sobre esse arcabouço, se distribuía a estrutura da cobertura a qual sofreu sucessivas alterações com substituições e acréscimos de tesouras. Resultante das alterações, hoje há uma sobrecarga da estrutura do telhado sobre as paredes perimetrais e ainda permanece um escoramento das tesouras com troncos de eucalipto.


Para suportar a sobrecarga da estrutura do telhado, foi proposta uma nova estrutura metálica, situada no corpo central do edifício, e que permite a retirada de todos os escoramentos das tesouras. Em relação aos ambientes internos do Sobrado Aguiar Vallim, foi evitada toda e qualquer compartimentação. As instalações sanitárias ocupam o corpo central no térreo e, no pavimento superior, em um compartimento ao lado da espera. Foi prevista a instalação de dupla prumada de elevadores, assim como um café no pavimento térreo. O Salão de festas é um ambiente decorado, com um pequeno palco elevado, cuja base conserva painéis figurativos atribuídos a José Maria Villaronga. No projeto, este ambiente não abriga programa da prefeitura e é mantido como espaço público aberto a visitações, podendo receber exposições e eventos públicos, entre outros.


Em relação aos espaços públicos, a proposta considerou o edifício no contexto urbano imediato. Além das praças lindeiras, foi proposto o tratamento da área na face posterior do edifício como área pública, extensão das demais praças. Para este fim, imaginou-se um percurso contínuo e aberto da praça Rubião Junior à praça da Matriz, passando pelo interior do edifício. Na área livre do terreno, há os acessos de veículos de autoridades, o banheiro público, reposicionado, e a extensão do café ao ar livre. Na Praça Rubião Junior, a intervenção se estrutura principalmente pela acentuação dos dois eixos principais de circulação e acesso ao Sobrado Aguiar Vallim, assim como a ordenação de alguns serviços pré-existentes, como os quiosques.

 

Planta de situação

Perspectiva da praça e casarão

Pátio, casarão e praça

Corte longitudinal

Perspectivas da praça

Perspectiva da nova estrutura metálica

Perspectiva interna

Planta do  térreo

Perspectiva do elevador

Planta do nível superior